Brasil - Quinta, 27 Julho 2017

Oposição de Marte

Uma ilustração da Terra e Marte em oposição
Uma ilustração da Terra e Marte em oposição
Como todos os planetas no nosso sistema solar, a Terra e Marte orbitam o Sol. Mas a Terra está mais perto do Sol, e dessa forma percorre sua órbita mais rapidamente. A Terra faz duas voltas em torno do Sol em quase o mesmo tempo que Marte leva para dar uma volta. Assim, algumas vezes os dois planetas estão em lados opostos do Sol, muito distantes, e outras vezes a Terra se encontra com seu vizinho e passa relativamente perto dele.

 

 

 

O Que é Oposição?

 

Durante a oposição, Marte e o Sol estão diretamente em lados opostos da Terra. De nossa perspectiva em nosso mundo em movimento, Marte surge no leste exatamente quando o Sol se põe no oeste. Então, após ficar no céu a noite inteira, Marte se põe no oeste no nascer do Sol. Já que Marte e o Sol aparecem em lados opostos do céu, nós dizemos que Marte está em "oposição." Se Marte e a Terra seguissem órbitas perfeitamente circulares, a oposição seria o mais perto que os dois planetas poderiam chegar.

 

É claro, que quando se fala em movimentos no espaço nada é tão simples! Nossas órbitas são na verdade elípticas (ovais), e nós viajamos um pouco mais perto do Sol em um dos lados da nossa órbita que do outro.

 

 

Quando Ocorre a Oposição?

 

Uma ilustração da "defasagem" relativa entre as órbitas da Terra e de Marte

 

 

As oposições de Marte acontecem a cada 26 meses. A cada 15 ou 17 anos, a oposição ocorre dentro de umas poucas semanas do periélio de Marte (o ponto da órbita que está mais perto do Sol).

 

Uma oposição pode ocorrer em qualquer ponto da órbita de Marte. Quando ocorre enquanto o planeta vermelho está mais perto do Sol (chamada "oposição periélica"), Marte está particularmente próximo à Terra. Se a Terra e Marte tivessem órbitas perfeitamente estáveis, então cada oposição periélica traria os dois planetas ao ponto de maior proximidade. Isto é quase o que acontece.

Mas de novo, a natureza tem algumas pequenas complicações. A interação gravitacional dos outros planetas constantemente mudam a forma das órbitas um pouco. O gigante Júpiter influencia escpecialmente a órbita de Marte. Além disso, as órbitas da Terra e de Marte não estão no mesmo plano. O caminho dos planetas em torno do Sol estão ligeiramente defasadas entre si.

 

Assim, com todos estes fatores somados, algumas oposições periélicas os aproximam mais do que as outras. Esta que nós estamos tendo em 2003 é a maior aproximação em quase 60.000 anos!

 

A órbita de Marte é mais elíptica que a da Terra, assim a diferença entre o periélio e o afélio é maior. Ao longo dos séculos passados, a órbita de Marte tem ficado cada vez mais elongada, carregando o planeta cada vez mais próximo ao Sol no periélio e cada vez mais longe no afélio. Portanto, futuras oposições periélicas irão trazer a Terra e Marte mais próximos. Mas nós ainda teremos este privilégio por enquanto. Nosso recorde de 2003 permanecerá até 28 de agosto de 2287!

Texto original da NASA (http://mars.jpl.nasa.gov/allabout/nightsky/nightsky03.html)
Artigo traduzido por Luis Gustavo Gabriel

 

Próximo artigo | Artigo anterior

 

Anúncios





Notícias
Direitos Reservados | Astronomia na Web 1996-2017