Brasil - Segunda, 27 Fevereiro 2017

Registro de Vôo da Apollo 11

Neil Armstrong  Michael Collins  Edwin Aldrin
Tripulação da Apollo 11: (esq. p/ dir: comandante Neil A. Armstrong, piloto do módulo de comando Michael Collins e o piloto do módulo lunar Edwin E. (Buzz) Aldrin Jr

 

16 JUL 1969

9:32 (hora da Flórida) - Menos de um segundo do horário programado, a Apollo 11 decola da rampa de lançamento 39A no Cabo Kennedy, Flórida para iniciar o que é encarado como o maior passo único na história da humanidade, uma viagem à Lua, um pouso tripulado e o regresso à Terra.

 

Observando tudo há uma audiência televisiva em escala mundial, estimada em milhões de testemunhas oculares. Posicionados a três milhas e meia (quase seis quilômetros) de distância sobre os areais ou sentados nas tribunas estão metade dos membros do Congresso dos Estados Unidos e mais de 3.000 jornalistas de 56 países.

 

Presos aos seus assentos no módulo de comando sobre um imenso veículo espacial de 363 pés (quase 111 metros), 7,6 milhões de libras (quase 3,5 milhões de quilos) de empuxo estão os três astronautas, todos nascidos em 1930, cada um pesando 75 quilos e dentro da mesma altura: 1,80m. São eles o comandante Neil A. Armstrong, civil e ex-piloto de teste; o piloto do Módulo de Comando Michael Collins e o piloto do Módulo Lunar Edwin E. (Buzz) Aldrin Jr., os dois últimos, oficiais da Força Aérea dos EUA.

 

O lançamento acontece após uma contagem regressiva de 28 horas. Ela acontece em condições meteorológicas extremamente favoráveis, com ventos de 10 nós (18 km/h) a sudeste, a temperatura por volta dos 80F (27°C), e nuvens a 15.000 pés (4.600 metros).

 

Às 4:15 os astronautas tinham sido acordados. Após um café da manhã com suco de laranja, carnes, ovos mexidos, torradas e café, eles começaram a se vestir às 5:35. Às 6:27, saíram em uma van com ar condicionado para a rampa de lançamento distante oito milhas (aproximadamente 13 km). Às 6:54, Armstrong entrou no módulo de comando e tomou posição à esquerda. Ele foi seguido cinco minutos mais tarde por Collins, à direita, e Aldrin, no centro.

 

Dois pequenos problemas que apareceram no equipamento de terra, um vazamento numa válvula e uma luz de sinalização defeituosa, foram corrigidos enquanto os astronautas estavam a caminho da rampa.

 

A plataforma de acesso à Apollo foi recolhida às 9:27. Oito segundos e nove décimos antes da hora do lançamento, o primeiro dos motores do primeiro estágio do Saturno V entrou em ignição. Do local de observação, a chama parecia como uma estrela brilhante amarelo-alaranjada no horizonte. Logo os outros quatro motores dispararam e a luz do primeiro motor tornou-se uma enorme bola de fogo que iluminou a cena como um sol nascente. Nenhum som foi ouvido. Por dois segundos, o veículo pegou impulso. Os grampos foram liberados e o veículo espacial começou a mover-se lentamente para cima, próximo às 9:32.

 

Ao chegar no topo da torre de serviço, o barulho ensurdecedor do disparo dos motores [3] se espalhou pelo cenário da Flórida e mergulhou sobre os telespectadores como uma onda. Eles testemunharam o início do quinto vôo tripulado Apollo, o terceiro nas vizinhanças da Lua e a primeira missão de pouso lunar.

 

Do Centro de Lançamento as últimas palavras foram: "Boa sorte e Fiquem com Deus." O Comandante Armstrong respondeu, "Muito obrigado. Sabemos que este será um bom vôo."

 

9:35 - A nave espacial está a 37 milhas náuticas (68,5 km) de altitude, distante 61 milhas náuticas (113 km) e viajando a 9.300 pés por segundo ou cerca de 6.340 milhas por hora (10.200 km/h). Armstrong confirma a ejeção do motor e a separação da torre de escape do lançamento.

 

9:44 - Com os três estágios do Saturno sendo disparados um após o outro e os dois primeiros ejetados, a Apollo 11 entra na órbita terrestre a 103 milhas marítimas (190 km) de altitude, durante a qual o veículo é cuidadosamente verificado pelos astronautas e pelo controle de terra.

 

12:22 - Outro disparo do terceiro estágio do motor, ainda acoplado ao módulo de comando de serviço, lança a Apollo 11 para fora da órbita a meio caminho, da sua segunda volta ao redor da Terra e a coloca em sua trajetória lunar numa velocidade inicial de 24.200 milhas por hora (39.000 km/h).

 

12:49 - Enquanto a nave espacial se move para cada vez mais longe da Terra, a nave de aterrissagem lunar, conhecida como "Eagle (Águia em potuguês)" é liberada de seu compartimento no topo do foguete lançador. Os astronautas primeiro disparam alguns parafusos explosivos. Isto faz com que a nave principal, chamada de  Columbia, se separe do adaptador e lance longe os quatro painéis que compõem seus lados, expondo o módulo lunar (LM) que estava armazenado dentro. Eles param a nave espacial cerca de 100 pés (30,5 metros) - 34 pés (10,4 m) mais longe do que devia - dão uma volta na nave, ficando de frente para a nave de desembarque, e as acoplam ponta com ponta. Com a acoplagem completa, as ligações do módulo lunar com o adaptador são soltas e a dupla módulo lunar e comando/serviço separada do foguete pronta para prosseguir sozinha em direção a lua.

 

14:38 - Para acabar com os restos de combustível do terceiro estágio do foguete ele é lançado numa longa órbita solar para retirá-lo do caminho da Apollo 11.

 

14:43 - Com o vôo de acordo com o programado e seguindo satisfatoriamente, o primeiro correção de curso programada é considerada desnecessária.

 

14:54 - A nave espacial está a 22.000 milhas náuticas (40.700 km) da Terra, viajando a 12.914 pés por segundo (14.170 km/h). Os tripulantes se mantém ocupados com tarefas domésticas.

 

20:52 - O Controle da Missão em Houston, Texas, diz boa noite para a tripulação, enquanto eles se preparam para ir dormir duas horas mais cedo.

 

22:59 - Devido a atração da gravidade da Terra, a nave reduziu sua velocidade para 7.279 pés por segundo (7.987 km/h), a uma distância de 63.880 milhas (118.000 km) da Terra.

17 JUL 1969

8:48 (hora da Flórida) - O Controle da Missão dá um breve sumário das notícias da manhã para a tripulação da Apollo, incluindo as novidades do esporte. Eles são informados sobre o progresso da nave espacial russa Lunar 15 e de que o Vice-Presidente Spiro T. Agnew, a maior autoridade do Governo presente ao lançamento da Apollo 11, fez um apelo para colocar um homem em Marte até o ano 2000.

 

12:17 - Uma correção de trajetória é feita com um disparo de três segundos, refinando o curso da nave espacial e testando os motores que devem levá-los para dentro e para fora da órbita lunar.

 

19:31 - Os astronautas começam sua primeira transmissão televisiva em cores a partir da nave espacial, mostrando a vista da Terra a uma distância de cerca de 128.000 milhas náuticas (237.000 km). Durante os 36 minutos de transmissão, são mostradas também vistas do interior do módulo de comando.

 

21:42 - O Controle da Missão deseja boa noite para a tripulação.

18 JUL 1969

9:41 - O Controle da Missão permite aos astronautas dormir uma hora mais do que o previsto no terceiro dia da viagem de ida. Depois do café da manhã, eles começam tarefas de rotina, tais como carregar as baterias, despejar os dejetos, e verificar as reservas de combustível e oxigênio. É avisado para eles que as correções de curso previstas para a tarde não serão necessárias.

 

14:57 - Os astronautas recebem as notícias do dia.

 

16:40 - Uma das melhores transmissões de televisão jamais mandada do espaço começa, com a nave espacial a 175.000 milhas náuticas (324.000 km) da Terra e 48.000 (89.000 km) da Lua.

 

22:00 - O Controle da Missão deseja boa noite para a tripulação.

 

23:12 - A velocidade da nave diminuiu para 2.990 pés por segundo (3.280 km/h) logo após entrar na esfera de influência da Lua num ponto a 33.823 milhas (62.640 km) de distância da mesma.

19 JUL 1969

6:58 - Os astronautas chamam o Controle da Missão para perguntar sobre a correção de curso programada e lhes é dito que ela havia sido cancelada. Eles também são avisados de que podem voltar a dormir.

 

8:32 - O Controle da Missão desperta a tripulação para que eles possam tomar o café da manhã e iniciar as tarefas de rotina.

 

10:01 - Os astronautas recebem um resumo das notícias do dia e são informados do interesse mundial sobre a missão Lunar.

 

10:31 - Collins informa: "Houston, foi uma verdadeira mudança para nós. Agora somos capazes de ver as estrelas novamente e reconhecer constelações pela primeira vez durante a viagem. O céu está cheio de estrelas, igual às noites na Terra. Em todo o caminho até aqui fomos capazes apenas de ver estrelas ocasionalmente através de lunetas, mas não de reconhecer qualquer padrão estelar."

 

10:42 - Armstrong diz: "A visão da Lua que temos tido recentemente é realmente espetacular. Ela ocupa cerca de três quartos da escotilha e, é claro, nós podemos ver toda sua circunferência, embora parte dela esteja toda na sombra e outra parte esteja brilhando. É uma vista que vale o preço da viagem."

 

12:58 - A tripulação é informada pelo Controle da Missão: "Estamos a 23 minutos do disparo da LOI (órbita de inserção lunar). O Diretor de Vôo Cliff Charlesworth requisita o status atual de cada um dos controladores de vôo." Então, rapidamente, segundos mais tarde: "Vocês estão prontos para a LOI". Aldrin responde: "Roger, vamos para LOI".

 

13:13 - A espaçonave passa totalmente por trás da Lua e perde o contato de rádio com a Terra pela primeira vez.

 

13:28 - O foguete principal da espaçonave, um motor com 20500 libras de empuxo, é acionado por cerca de seis minutos para desacelerar o veículo e para que a espaçonave possa ser capturada pela gravidade lunar. Ela ainda está atrás da lua. A órbita resultante varia de 61,3 milhas náuticas (113,5 km) a 168,8 milhas náuticas (312,6 km).

 

13:55 - Armstrong diz ao Controle da Missão: "Estamos tendo a primeiro vista do local de desembarque. Estamos agora passando sobre a cratera Taruntius e as imagens e os mapas trazidos pelas Apollo 8 e 10 nos dão uma visualização muito boa do que procurar aqui. Parece muito com as imagens, mas é como a diferença entre assistir a um verdadeiro jogo de futebol e vê-lo na televisão - nada substitui estar aqui."

 

Cerca de 15 minutos depois, ele acrescenta: "Ela é cinza claro, e à medida que você se aproxima do ponto subsolar, você pode ver com certeza castanhos e marrons no terreno".

 

E alguns momentos mais tarde: "Quando uma estrela aparece aqui em cima, não há dúvida sobre isso. Um instante ela está lá e no instante seguinte ela simplesmente desaparece completamente."

 

15:56 - Começa uma transmissão televisiva de 35 minutos da superfície da Lua. Viajando para oeste ao longo da borda oriental do lado visível da Lua, a câmara está focada principalmente em mostrar a área escolhida como local de desembarque.

 

17:44 - Um segundo disparo do motor principal da espaçonave, desta vez de 17 segundos, foi feito enquanto a espaçonave está no lado oculto da Lua, para estabilizar a órbita a cerca de 54 e 66 milhas náuticas (100 e 122 km).

 

18:57 - Armstrong e Aldrin rastejam através do túnel para o módulo lunar a fim de fazer outra verificação. A nave está orbitando a Lua a cada duas horas.

20 JUL 1969

9:27 - Aldrin rasteja para o módulo lunar e começa a ligar a espaçonave. Cerca de uma hora depois, Armstrong entra no Módulo Lunar e juntos eles continuam a verificar os sistemas e liberam as pernas de pouso.

 

13:46 - A nave de desembarque é separada do módulo de comando, aonde Collins continuará orbitando a Lua.

 

14:12 - Collins dispara os foguetes da nave de comando e a leva até cerca de duas milhas (3 km) de distância.

 

15:08 - Armstrong e Aldrin, disparam o motor de descida do módulo de desembarque pela primeira vez.

 

15:47 - Collins, voando no módulo de comando por trás da Lua, relata para a Terra que o módulo de desembarque está no seu caminho até a superfície lunar. É a primeira vez que o Controle da Missão ouve sobre o procedimento de descida. "Tudo está acontecendo às mil maravilhas. Lindo! "

 

16:05 - Armstrong acelera o motor para frear o Módulo Lunar antes de pousar sobre a superfície lunar. O pouso não é fácil. O local que eles se aproximam está a quatro milhas (6 km) do alvo, na margem sudoeste do Mar da Tranquilidade. Vendo que eles estão se aproximando de uma cratera do tamanho de um campo de futebol e coberta com grandes rochas, Armstrong assume o controle manual e manobra a nave para um local mais suave. Seu batimento cardíaco aumentou de 77 para 156.

 

Enquanto Armstrong voa o módulo de desembarque, Aldrin lhe passa as leituras de altitude: "Setecentos e cinquenta pés (229 m), caindo a 23 graus... 700 pés (213 m), 21 para baixo... 400 pés (122 m), para baixo em nove... Vejo uma sombra lá fora ... 75 pés (23 m), as coisas parecem que vão bem... Luzes ligadas... Levantando um pouco de pó... 30 pés (9 m), 2,5 para baixo... Sombra tênue... Quatro par a frente. Quatro para frente, derivando para a direita um pouco... Luz de contato. Ok, desligar motor."

 

Quando as sondas de 68 polegadas (1,72 m) debaixo de três das quatro pernas de desembarque da espaçonave tocam o solo, pisca uma luz no painel de instrumentos, e Armstrong desliga o motor da nave.

 

16:18 - A nave pousa com um solavanco quase como o de um jato pousando num aeroporto. Ela está em um ângulo de não mais que quatro ou cinco graus no lado direito da Lua, vista da Terra. Armstrong imediatamente avisa o Controle da Missão: "A  Eagle (Águia) pousou."

 

Aldrin, olhando para fora da janela do Módulo Lunar, relata: "Vamos descrever mais ou menos o ambiente em volta, parece a coleção de todas as formas, variedades, ângulos,granulações e tipos de rochas que se podem encontrar. As cores variam bastante, dependendo de como você olha... Não parece haver muitos contrastes de tonalidades, porém, parece que algumas das rochas e pedras, que são poucas na nossa vizinhança... terão algumas cores interessantes nelas."

 

Alguns momentos depois, ele fala de avistar numerosas crateras, algumas delas com 100 pés (30,5 m) de diâmetro, mas a maior parte...



Acima: Esta é a cena na televisão testemunhada por milhões na Terra enquanto Armstrong desce a escada do Módulo Lunar pouco antes de se tornar o primeiro ser humano a pôr o pé na Lua.

 


Acima: A pegada na Lua, algo de novo na longa jornada da história do homem.


 

...somente com um ou dois pés (30 ou 60 cm) de diâmetro. Ele vê cordilheiras com 20 ou 30 pés (6 ou 9 m) de altura, blocos com dois pés (60 cm) e bordas anguladas, e um monte distante entre meia milha (750 m) e uma milha (1,5 km).

 

Por fim, ao descrever a superfície, Aldrin, diz: "É muito sem cor. Ela é cinza, é um cinza muito claro, quando você olhar para a linha de fase zero, e é um cinza bem escuro, quando você olha a 90 graus em relação ao Sol. Algumas das rochas da superfície perto daqui que foram quebradas ou perturbadas pelo motor do foguete estão cobertas com este cinza claro no lado de fora, mas quando foram quebradas elas mostraram um interior muito, muito escuro, que se parece com basalto."

 

A primeira tarefa após o pouso é preparar a nave para o lançamento, e verificar que está tudo pronto para fazer a decolagem de volta ao ponto de encontro com o Módulo de Comando em órbita acima.

 

18:00 - Com tudo em ordem, Armstrong transmite um aviso de que eles pretendem iniciar a EVA (Atividade Extra Veicular), mais cedo do que inicialmente previsto, por volta de 21:00 Hora da Flórida. O Controle da Missão responde: "Vamos apoiá-los sempre."

 

22:39 - Depois do que foi proposto às 18:00, mas mais de cinco horas à frente da programação original, Armstrong abre a escotilha do Módulo Lunar e se espreme através da abertura. É um processo lento. Preso em seus ombros está o sistema portátil de sustentação da vida e comunicações pesando 84 libras (38 kg) na Terra, 14 (6 kg) na Lua, com carga para pressurização; suprimento de oxigênio e remoção de dióxido de carbono.

 

Armstrong move-se lentamente para baixo na escada de 10 pés (3 m) e nove degraus. Ao chegar no segundo degrau, ele puxa uma "alça em forma de D", de fácil acesso, liberando uma câmara de televisão, colocada de tal forma no Módulo Lunar para mostra-lo para a Terra enquanto ele prossegue a partir daquele ponto.

 

Descendo a escada ele para no último degrau."Estou no pé da escada", relata ele. "As pernas de desembarque do Módulo Lunar afundaram na superfície apenas cerca de uma ou duas polegadas (2,5 ou 5 cm)... a superfície parece ser de um grão muito fino, quando você chega próximo dela, é quase como se fosse um pó."

 

22:56 - Armstrong coloca o seu pé esquerdo na Lua. É a primeira vez na história que o homem pisou em algo que não existiu ou que foi originado na Terra.

 

"Esse é um pequeno passo para um homem, um salto gigante para a humanidade", transmitiu Armstrong. Aldrin tira fotografias de dentro da espaçonave.

 

A primeira pegada feita pelo peso do homem na Lua é de uma bota lunar que lembra um galocha superdimensionada.

 

Suas solas são de borracha de silicone e suas paredes laterais são de plástico aluminizado com 14 camadas. Especialmente projetadas para super-isolamento, elas protegem contra a abrasão e tem atrito reduzido para facilitar a colocação. Na Terra, ela pesa quatro quilos, nove onças (2,1 kg), na Lua 12 onças (340 g).

 

Armstrong avalia  a vizinhança por um instante e depois sai, testando-se num ambiente com a gravidade de um sexto da Terra. "A superfície é fina e empoeirada", diz ele. "Eu posso pegá-la livremente com o meu dedo. Ela adere em finas camadas como pó de carvão na sola e nas laterais das minhas botas. Eu só andei uma pequena fração de polegada. Talvez um oitavo de polegada, mas posso ver as pegadas das minhas botas e os rastros na partículas de areia fina."

 

"Parece não haver dificuldade em se deslocar por aqui como nós suspeitávamos. É talvez até mais fácil do que nas simulações..."

 

Sentindo-se mais confiante, Armstrong começa fazendo uma coleta preliminar de amostras do solo próximo ao módulo de desembarque. Isto é feito com um saco na ponta de uma haste.

 

"Isto é muito interessante", comenta. "É uma superfície muito macia, mas aqui e ali... Eu fui até uma superfície muito dura, mas parece ser algum tipo de material muito coeso... Tem uma tipo de beleza toda a sua. Parece muito com o alto deserto dos Estados Unidos."

  

Ele recolhe uma pequena sacola cheia de solo e a coloca no bolso na perna esquerda de seu traje espacial. Isto é feito logo, conforme planejado, para que se tenha certeza de que alguma superfície da Lua seja levada para a Terra no caso da missão ter que ser encurtada.

 

23:11 - Depois de baixar uma câmera fotográfica Hasselblad para Armstrong, Aldrin surge do módulo de desembarque e começa a descer a escada, enquanto seu companheiro o fotografa.

 

"Essas rochas... São muito escorregadias", diz Armstrong. Os astronautas informa que a superfície poeirenta parece preencher os finos poros das rochas, e eles tendem a escorregar sobre elas com bastante facilidade.

 

Armstrong encaixa uma lente com distância focal longa na câmera de TV e aponta para uma pequena placa de aço inoxidável, localizada numa das pernas do módulo de desembarque. Ela diz: "Aqui homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez na Lua. Julho de 1969 DC. Viemos em paz por toda a humanidade." Abaixo, da inscrição estão os nomes dos  tripulantes da Apollo e do Presidente Nixon.

 

Armstrong em seguida remove a câmera de TV de sua posição fixa sobre o Módulo Lunar e a coloca afastada cerca de 40 pés (12 m) para que ela possa cobrir a área em que os astronautas vão operar.

 

Como programdo, os astronautas montam a primeira das três experiências. A partir de um compartimento externo de armazenagem no Módulo Lunar, Aldrin remove um tubo com um pé de comprimento (30 cm) contendo um rolo de papel alumínio. Dentro do rolo tem um pé telescópico que é colocado na superfície lunar, após o qual a película é...


 


Acima: Nesta sequência de fotografias tiradas por Armstrong, Aldrin é mostrado descendo a escada do Módulo Lunar.

 


...suspensa nele, com o lado marcado "Sol" virado para o Sol. Sua função será coletar as partículas do "vento solar" que sopram constantemente através do espaço para que possam ser trazidas de volta e analisadas, na esperança de que irão fornecer informações sobre como o Sol e os planetas foram formados.

 

23:41 - De uma das pernas da espaçonave, os astronautas pegam uma bandeira de nylon dos Estados Unidos com dimensões de três por cinco pés (1,0 m por 1,5 m), cuja borda superior é segura por um arame para mantê-la estendida na Lua sem vento e erguida num pedestal sobre a superfície lunar.

 

Foram levadas para a Lua duas outras bandeiras dos EUA, para serem trazidas de volta e voar sobre o Congresso, as bandeiras dos 50 Estados, o Distrito de Columbia e os territórios americanos, a bandeira das Nações Unidas, bem como de 136 países estrangeiros.

 

23:47 - O Controle da Missão anuncia: "O Presidente dos Estados Unidos está em seu escritório agora, e gostaria de dizer algumas palavras para vocês." Armstrong respondeu: "Isto seria uma honra."

 

23:48 .- Os astronautas ouvem enquanto o Presidente fala pelo telefone: "Neil e Buzz. Estou falando com vocês a partir da Sala Oval na Casa Branca. E isso certamente é o mais histórico telefonema feito. Para cada Americano este o dia mais orgulhoso de nossas vidas. E para as pessoas em todo o mundo, estou certo que eles, também, juntam-se aos americanos para reconhecer esta façanha. Por conta do que vocês tem feito, os céus tornaram-se parte do mundo dos homens. Quando vocês falaram para nós a partir do Mar da Tranquilidade, isto nos inspirou a redobrar nossos esforços para trazer paz e tranqüilidade para a Terra. Num precioso momento, de toda a história do homem, todas as pessoas do nosso planeta foram realmente um só."

 

Quando o presidente termina de falar, Armstrong responde: "Obrigado, Senhor Presidente. É uma grande honra e privilégio para nós estar aqui representando não só os Estados Unidos, mas os homens de paz de todas as nações. E com interesse e curiosidade e uma visão para o futuro. É uma honra para nós poder participar aqui hoje."

 

Os dois astronautas ficam em posição de sentido, saudando diretamente para a televisão enquanto a conversa telefónica é concluída.

 

Armstrong em seguida monta uma mesa dobrável e abre nela duas caixas de espécimes.  Usando pinças e o coletor lunar, uma quantidade de rochas e solo são apanhados e selados nas caixas, preparando-as para serem colocadas no estágio de ascensão do módulo de desembarque.

 

Enquanto isso, Aldrin abre um outro compartimento da nave e remove dois dispositivos para serem deixados na Lua, posicionado-os cada um a cerca de 30 pés (10 m) da nave. Um deles é um detector sísmico, para gravar lunamotos, impacto de meteoritos, ou erupção vulcânica, e o outro um refletor laser, um dispositivo projetado para fazer uma medição muito mais precisa da distância Terra-Lua do que jamais foi possível antes.



Aldrin instala instrumentos para coletar partículas de "vento solar".

 


Aldrin se aproxima da perna do módulo de desembarque.

 


A bandeira que marcou a Base da Tranquilidade, Aldrin ao lado.

 


Aldrin, prepara a montagem de dois instrumentos do pacote de experimentos.

 

A placa comemorativa trazendo os nomes dos tripulantes e do Presidente Nixon.

 


Base Tranquilidade. Refletida na viseira dourada do Astronauta Aldrin está a Eagle (Águia), o comandante Armstrong, a bandeira e o experimento implantado instrumentos.

 


Armstrong e Aldrin desfraldam a bandeira dos EUA na Lua, eles foram fotografados pela máquina automática da colocada na janela do Módulo Lunar.


21 JUL 1969

00:54 - Depois de verificar com o Controle da Missão para ter certeza de que todas as tarefas foram concluídas, as experiências montadas, e fotografias tiradas, Aldrin começa a subir a escada de volta para o Módulo Lunar.

 

1:09 - Armstrong junta-se a Aldrin no módulo de desembarque.

 

1:11 - A escotilha é fechada.Os astronautas começam a retirar os sistemas portáteis de suporte à vida, de quem eles dependeram por duas horas e 47 minutos.

 

4:25 - Os astronautas são orientados a ir dormir, depois de terminar os detalhes das tarefas de rotina e responder a um bom número de questões relativas à geologia da Lua.

 

9:44 - Pouco depois de despertar Collins, ainda circundando a Lua no Módulo de Comando/Serviço, o Controle da Missão observa: "Desde Adão nenhum homem conheceu tanta solidão como a que Mike Collins está experimentando durante estes 47 minutos de cada revolução lunar quando ele está por trás da Lua, sem ninguém para falar, exceto seu gravador a bordo da Columbia."

 

11:13 - Os astronautas da Eagle são acordados. Aldrin anuncia: "Neil confeccionou ele próprio uma rede muito boa... e está lá sobre a escotilha e a tampa do motor, e eu encolhido no chão."

 

12:42 - Respondendo uma questão levantada antes que eles fossem dormir, Aldrin relata: "Estamos em um campo de rochas onde elas geralmente tem até dois pés (60 cm), com algumas poucas maiores do que isto... Algumas das pedras estão sobre a superfície, algumas delas estão parcialmente expostas, e algumas estão muito pouco visíveis."

 

13:54 - O motor de subida é ligado e o Módulo Lunar, usando o estágio de descida como rampa de lançamento, começa a se elevar e atinge uma velocidade vertical de 80 pés por segundo (43 km/h) a 1.000 pés (300 m) de altitude.

 

Os astronautas levam com eles no estágio de subida as amostras de solo, a folha de alumínio com as partículas de "vento solar" que foram coletadas, os filme utilizados na tomada de fotografias e filmes, as bandeiras e outras lembranças que serão levadas para a Terra. Para trás eles deixam uma quantidade de itens, reduzindo o peso da nave de 15.897 libras (7.210 kg) quando pousou na Lua para 10.821 libras (4.908 kg).

 

O maior item deixado para trás é o estágio de descida, aquela parte do módulo de desembarque com a placa em uma das suas pernas. Outros itens que ficaram são: uma câmara de TV, duas câmaras fotográficas, instrumentos utilizados na coleta de amostras, sistemas de suporte de vida portátil, botas lunares, bandeira dos EUA, suporte para o instrumento usado no experimento do "vento solar", reflector de feixe laser, detector sísmico e um gnomon, um dispositivo para verificar cores dos objetos fotografados.

 

17:35 - A Eagle se atraca com a Columbia enquanto passam pelo lado oculto da Lua.

 

19:42 - O módulo de desembarque é ejetado.



Juntos para casa. Armstrong e Aldrin, no interior do módulo de subida logo após decolarem da Lua, iniciam a primeira etapa de sua viagem de volta à Terra, mostrada acima da curvatura da superfície lunar.


22 JUL 1969

00:56 - Ainda no lado oculto da Lua, com o Módulo Lunar 20 milhas (30 km) atrás do Módulo de Comando/Serviço, a ignição de inserção trans-terrestre da Apollo 11 é iniciada, com a nave espacial viajando a 5.329 pés por segundo (5.847 km/h), a uma altitude de cerca de 60 milhas náuticas (111 km).

 

4:30 - Os astronautas iniciam o período de descanso.

 

13:00 - Os astronautas começam a acordar para o primeiro dia da viagem de retorno.

 

13:39 - A espaçonave passa pelo ponto no espaço, 33.800 milhas náuticas (62.597 km) a partir da Lua e 174.000 (322.248 km) da Terra, onde a gravidade da Terra é maior e começa a trazer os astronautas de volta para casa.

 

16:02 - Correção é realizada no meio do caminho para reajustar a trajetória da espaçonave.

 

09:08 - Começam dezoito minutos de transmissão televisiva ao vivo para a Terra.

23 JUL 1969

2:14 - Os astronautas iniciam o período de descanso.

 

12:20 - Os tripulantes despertam. Começam verificação sem compromisso dos sistemas e conversam com o Controle da Missão.

 

15:56 - A espaçonave passa pelo ponto no espaço, 33.800 milhas náuticas (62.597 km) a partir da Lua e 174.000 (322.248 km) da Terra, onde a gravidade da Terra é maior e começa a trazer os astronautas de volta para casa.

 

19:03 - A última transmissão televisiva em cores começa.

24 JUL 1969

6:47 - Os tripulantes despertam e começam os preparativos para a amerissagem.

 

12:21 - Os módulos de Comando e de Serviço são separados.

 

12:35 - O Módulo de Comando re-entra na atmosfera da Terra.

 

12:51 - A espaçonave amerrissa a 825 milhas náuticas (1.528 km) a sudoeste de Honolulu e cerca de 13 milhas náuticas (24 km) do navio de regate, o USS Hornet.

 

13:20 - A escotilha do módulo de comando abre e omergulhador segura em trajes de isolamento.

 

13:28 - Os astronautas saem da nave espacial em trajes de isolamento e são pulverizadas com um desinfectante como proteção contra a possibilidade de contaminar a Terra com "germes" da Lua.

 

13:57 - Os astronautas chegam de helicóptero no deque de vôo do Hornet. Ainda dentro do helicóptero eles tomam um elevador para o deque do hangar e então entram de imediato no trailer de quarentena móvel onde permanecerão até chegarem no Laboratório de Recepção Lunar em Houston em 27 de Julho.

 

15:00 - O presidente Nixon dá as boas-vindas aos astronautas, visíveis através de uma janela do trailer. Falando num interfone, ele os cumprimenta, e os convida para um jantar com ele em 13 de agosto.  e lhes diz:

"Esta semana é a maior na história do mundo desde a Criação... Como resultado do que vocês fizeram, os mundos nunca estiveram tão juntos.... Podemos alcançar as estrelas assim como vocês atingiram as estrelas."

 

15:55 - O módulo de comando a bordo do Hornet chega após viajar 952.700 milhas (1.764.400 km) desde 16 jul.



Paramédicos são mostrados após a amerissagem pulverizando os astronautas, vestidos com roupas de isolamento biológico, com desinfectante.


"OK" é o tema desta mútua sinalização através da janela da Facilidade de Quarentena Móvel entre o Presidente Nixon e os astronautas a bordo do USS Hornet.


Assim termina a primeira missão do homem na Lua. Ela durou 195 horas, 18 minutos e 35 segundos ou um pouco mais de oito dias. É reconhecido como a missão mais livre de problemas até hoje, quase totalmente de acordo com o calendário e bem sucedida em todos os aspectos.

 

Próximo artigo | Artigo anterior

Anúncios





Notícias
Direitos Reservados | Astronomia na Web 1996-2017