Brasil - Terça, 17 Janeiro 2017

Missão da NASA Kepler Lançada ao Espaço em Busca de Outras Terras

traduzido por Luis Gabriel

07 MAR 2009 - Cabo Canaveral, Flórida - A missão Kepler, da NASA, foi lançada com sucesso ao espaço da Estação da Força Aérea do Cabo Canaveral, Flórida, a bordo de um foguete Delta II às 10:49 EST, sexta-feira. A Kepler foi projetada para encontrar o primeiro planeta do tamanho da Terra orbitando estrelas a distâncias onde a água poderia estar na superfície do planeta.

"Foi um lançamento fantástico", disse o Gerente de Projeto da Kepler James Fanson do Jet Propulsion Laboratory da NASA em Pasadena, Califórnia. "Nossa equipe está entusiasmada por ser uma parte de algo tão significativo para a raça humana - a Kepler irá nos ajudar a descobrit se a nossa Terra é única, ou se há outras como ela lá fora."

 

Os engenheiros receberam um sinal da Kepler às 12:11 de sábado, após a separação do exaurido terceiro estágio do foguete e ter entrado na sua órbita final ao redor do Sol, a cerca de 950 milhas (1.500 quilômetros) acompanhando a órbita da Terra. A nave está a gerando sua própria energia a partir de seus painéis solares.

  

"A Kepler agora está no lugar perfeito para observar mais de 100.000 estrelas em busca de planetas", disse William Borucki, investigador chefe da missão científica no Centro de Pesquisa Ames, da NASA, em Moffett Field, Califórnia. Borucki trabalha na missão há 17 anos. "Todo mundo está muito animado para que nosso sonho se torne realidade. Nós estamos à beira de aprender se outras Terras estão espalhadas pela galáxia."

 

Os engenheiros começaram a verificar a Kepler para garantir que ela está funcionando corretamente, um processo chamado de "comissionamento", que levará cerca de 60 dias. Em aproximadamente um mês ou menos, a NASA vai enviar os comandos para a Kepler ejetar a sua cobertura e fazer suas primeiras medições. Após um mês de calibragem do único instrumento da Kepler, uma câmera, o telescópio vai começar a procurar os planetas.

 

Espera-se que os primeiros planetas a saírem da "linha de montagem" da Kepler sejam os corpulentos "Júpiters quentes" - gigantes gasosos que orbitam próximos e rápidos em torno de suas estrelas. Os telescópios espaciais da NASA Hubble e Spitzer serão capazes de acompanhar estes planetas e aprender mais sobre as suas atmosferas. Planetas do tamanho de Netuno provavelmente serão encontrados a seguir, seguido por aqueles rochosos tão pequenos quanto Terra. As verdadeiras cópias da Terra - planetas do tamanho da Terra orbitando estrelas como o nosso Sol, a distâncias onde a água na superfície e, eventualmente, a vida, possam existir - levariam pelo menos três anos para serem descobertas e confirmadas. Telescópios terrestres também contribuirão com a missão de verificar algumas das descobertas.

 

No final, a Kepler irá nos dar nossa primeira olhada na frequência de planetas do tamanho da Terra em nossa galáxia Via Láctea, assim como a freqüência de planetas do tamanho da Terra que poderiam teoricamente ser habitáveis.

 

"Mesmo se não encontrarmos planetas como Terra, que por si só seria frustrante. Indicaria que provavelmente estamos sozinhos na galáxia", disse Borucki.

 

À medida que a missão progrida, a Kepler ficará cada vez mais longe e mais atrás da Terra em sua órbita em torno do Sol. O Telescópio Espacial Spitzer, da NASA, que foi lançado na mesma órbita mais de cinco anos atrás, está agora mais de 62 milhões de milhas atrás na trajetória da órbita da Terra.

 

Texto traduzido por Luis Gabriel

Anúncios





Notícias
Direitos Reservados | Astronomia na Web 1996-2017