Brasil - Quinta, 27 Abril 2017

Voyager - Espaçonaves Pioneiras da NASA Fazem Trinta Anos de Vôo

20 AGO 2007 - As duas veneráveis espaçonaves Voyager da NASA estão celebrando três décadas de vôo à medida que se dirigem ao espaço interestelar.

A Voyager 2 foi lançada em 20 AGO 1977, e a Voyager 1 foi lançada em 05 SET 1977. Elas continuam a transmitir informações de distâncias três vezes além de Plutão.

 

"A missão Voyager é uma lenda nos anais da exploração espacial. Ela abriu nossos olhos para a riqueza científica do sistema solar externo, e foram as pioneiras da mais profunda exploração dos domínios do Sol jamais conduzida," disse Alan Stern, administrador associado da Diretoria de Missões Científicas da NASA., em Washington. "Isto é um tributo aos projetistas , construtores e operadores, que as duas naves continuem a enviar importantes descobertas 25 anos depois de completada a missão principal para Júpiter e Saturno."

 

Durante seus primeiros doze anos de vôo, as Voyagers fizeram explorações detalhadas de Júpiter, Saturno, e suas luas, além de terem conduzido as primeiras explorações de Urano e Netuno. As Voyagers enviaram imagens nunca antes vistas e dados científicos, fazendo descobertas fundamentais sobre os planetas exteriores e suas luas. A espaçonave revelou a atmosfera turbulenta de Júpiter, que inclui dúzias de sistemas de furacões interagindo, e vulcões em erupção na lua Io. Elas também mostraram ondas e estruturas finas nos anéis gelados de Saturno provocadas pelas luas vizinhas.

 

Nos últimos 18 anos, as gêmeas Voyager tem sondado os limites da heliosfera e sua fronteira com o espaço interestelar. As Voyagers permanecem saudáveis e estão enviando dados científicos 30 anos após seus lançamentos.

 

A Voyager 1 atualmente é o objeto feito pelo ser humano mais distante, viajando a uma distância do Sol de aproximadamente 15,5 bilhões de quilômetros (9,7 bilhões de milhas). A Voyager 2 está a cerca de 12,5 bilhões de quilômetros (7,8 bilhões de milhas) do Sol. Originalmente projetadas como uma missão de quatro anos para Júpiter e Saturno, a viagem das Voyagers foram estendidas devido ao sucesso de suas descobertas e um raro alinhamento planetário. A missão de dois planetas tornou-se uma grande viagem a quatro planetas. Após completar esta missão estendida, as duas espaçonaves começaram a tarefa de explorar os limites da heliosfera.

 

"A missão Voyager mostrou o nosso sistema solar de uma forma que não era possível antes da Era Espacial," disse Edward Stone, cientista do projeto Voyager no Instituto de Tecnologia da Califórnia, Pasadena, Califórnia. "Ela revelou nossos vizinhos do sistema solar exterior e nos mostrou quanto ainda há para aprender e quão diferentes são os corpos que dividem o sistema solar com o nosso planeta Terra."

 

Em dezembro de 2004, a Voyager 1 começou a cruzar a fronteira final do sistema solar. Conhecida como "Heliosheath", esta área turbulenta, aproximadamente a 14 bilhões de quilômetros (8,7 bilhões de milhas) do Sol, é onde o vento solar perde velocidade ao se chocar com o fino gás que preenche o espaço entre as estrelas. A Voyager 2 deverá atingir esta região no final deste ano, colocando as duas Voyager em sua perna final rumo ao espaço interestelar.

 

Cada espaçonave carrega cinco instrumentos científicos totalmente operacionais que estudam o vento solar, partículas energéticas, campos magnéticos e ondas de rádio enquanto cruzam esta região inexplorada do espaço profundo. As espaçonaves estão muito longe do Sol para usar a energia solar. Elas funcionam com menos de 300 watts, a quantidade de potência necessária para acender um lâmpada incandescente brilhante. Os geradores termoelétricos de radioisótopos fornecem a energia.

 

"A operação contínua destas espaçonaves e o fluxo de dados que chegam aos cientistas é um testemunho da habilidade e dedicação do pequeno time de operações," disse Ed Massey, gerente de projetos da Voyager, no JPL em Pasadena, Califórnia. Massey supervisiona uma equipe com aproximadamente uma dúzia de pessoas nas operações do dia-a-dia da Voyager.

 

As Voyager falam com a Terra através da Rede de Espaço Profundo da NASA, um sistema de antenas ao redor do mundo. As espaçonaves estão tão distantes que os comandos da Terra, viajando na velocidade da luz, levam 14 horas num sentido para chegar na Voyager 1 e 12 horas para atingir a Voyager 2. Cada Voyager percorre aproximadamente 1 milhão de milhas por dia.

 

Cada uma das Voyagers carrega um disco dourado que é uma cápsula do tempo com saudações, imagens e sons da Terra. Os discos também tem indicações de como encontrar a Terra se a espaçonave for recuperada por alguém ou alguma coisa.

 

A mais recente missão da NASA para os limites do sistema solar é a New Horizons (Novos Horizontes), que atualmente está bem próximo a Júpiter e a caminho de uma histórica exploração de Plutão em 2015.


Texto traduzido do site http://www.nasa.gov/mission_pages/voyager/voyager-20070820.html


Próximo artigo | Artigo anterior

Anúncios





Notícias
Direitos Reservados | Astronomia na Web 1996-2017