Brasil - Terça, 17 Janeiro 2017

Cassini - NASA Encontra Hidrocarbonetos em Hyperion

04 JUL 2007 - A espaçonave da NASA Cassini revelou pela primeira vez detalhes da superfície da lua de Saturno Hyperion, incluindo crateras em forma de taças cheias de hidrocarbonetos que pode indicar a presença mais espalhada em nosso sistema solar, da química necessária para dar origem à vida.

Hyperion mostrou alguns de seus segredos para a bateria de instrumentos a bordo da Cassini enquanto a espaçonave sobrevoou de perto a lua em setembro de 2005.Gelo de água e de dióxido de carbono foram encontrados, assim como um material escuro cujo perfil espectral coincide com o dos hidrocarbonetos.

 

Um documento que foi apresentado na edição de 5 de julho da revista Nature mostra detalhes das crateras na superfície de Hyperion e da composição observados durante o sobrevôo, incluindo dados-chave para o entendimento da origem da lua e sua evolução nestes 4,5 bilhões de anos. Esta é a primeira vez que os cientistas conseguem mapear o material na superfície de Hyperion.


Acima: Detalhe do mapa de cores mostrando a composição desta porção da superfície de Hyperion (azul = gelo de água, vermelho = dióxido de carbono, magenta = água + dióxido de carbono e amarelo = dióxido de carbono + material desconhecido).
Créditos: NASA/JPL/University of Arizona/Ames/Space Science Institute

 

"De especial interesse é a presença em Hyperion de hidrocarbonetos -- combinações de átomos de carbono e hidrogênio encontradas em cometas, meteoritos, e na poeira em nossa galáxia," disse Dale Cruikshank, um cientista planetário do AMES Research Center, Moffett Field, Califórnia, e autor principal do documento.  "Estas moléculas, quando misturadas com gelo e expostas à luz ultravioleta, formam novas moléculas de significância biológica. Isto não significa que encontramos vida, mas isto é uma indicação a mais de que a química básica necessária para a vida está espalhada pelo universo."

 

O espectrógrafo de imagem ultravioleta da Cassini e o espectrômetro de mapeamento visual e infravermelho capturaram variações de compostos na superfície de Hyperion. Estes instrumentos, capazes de mapear características minerais e químicas da lua, enviaram dados confirmando a presença de água congelada encontrada anteriormente por observatórios da Terra, mas descobriram dióxido de carbono sólido (gelo seco) misturado de forma inexplicável com o gelo comum. Imagens das regiões mais brilhantes  da superfície de Hyperion mostram que há água congelada, e que está na forma cristalina, asim como encontrada na Terra.

 

Dados anteriores da espaçonave sobre outras luas de Saturno, sugere que o dióxido de carbono é "complexo" ou unido com outros materiais de superfície de várias formas, assim como foi visto nas luas de Júpiter Ganymede e Callisto. "Achamos que o dióxido de carbono evaporará das luas de Saturno sobre longos períodos de tempo," disse Cruikshank, "mas ele parece muito mais estável quando está conectado a outras moléculas."

 

"O sobrevôo em Hyperion foi um fino exemplo das capacidades de múltiplos comprimentos de onda da Cassini. Na sua primeira observação em ultra-violeta de Hyperion, a detecção de gelo de água trouxe informações sobre as diferenças de componentes neste mundo bizarro," disse Amanda Hendrix, cientista da Cassini, do espectrógrafo de imagem ultra-violeta do JPL, Pasadena, Califórnia.

 

Hyperion é a oitava maior lua de Saturno, tem uma rotação caótica, e orbita ao redor de Saturno a cada 21 dias. A edição de 5 JUL 2007 da Nature inclui novas descobertas da equipe de imagem sobre a aparência estranha e que lembra uma esponja.

 
Acima: Saturno vista por um de seus pólos com algumas de suas luas. Esta imagem serve para mostrar a distância da órbita de Hyperion ao centro de Saturno.
Crédito: Imagem gerada pelo Celestia (http://www.shatters.net/celestia/)

 

Texto traduzido do site da NASA (http://saturn.jpl.nasa.gov)



Próximo artigo | Artigo anterior

 

Anúncios





Notícias
Direitos Reservados | Astronomia na Web 1996-2017