Brasil - Quinta, 27 Abril 2017

Marte - Descida Arriscada

28 JUN 2007 - O explorador de Marte Opportunity está programado para começar a descer uma ladeira rochosa para dentro da enorme cratera do planeta vermelho, Cratera Victoria. Isto trás um risco real para o explorador robótico, mas a NASA e o time de ciências dos Exploradores de Marte forneça valiosos dados científicos.

A Opportunity já tinha explorado rochas em penhascos ao redor da Cratera Victoria. A equipe planejou cuidadosamente a descida para possibilitar uma eventual saída, mas a Opportunity poderia ficar presa dentro da cratera ou perder algumas de suas capacidades. O explorador já operou mais que 12 vezes o seu tempo de vida previsto que era de 90 dias.

 

O atrativo científico é a chance de examinar e investigar as composições e texturas dos materiais expostos nas profundezas da cratera, em busca de pistas sobre um passado com água. À medida que o explorador for descendo a ladeira, ele estará apto a examinar rochas cada vez mais antigas expostas nas paredes das crateras.

 

"Enquanto consideramos seriamente a incerteza da Opportunity poder subir de volta a ladeira, o potencial valor das investigações que parecem possíveis dentro da cratera me convenceram a autorizar a equipe a ir em frente com a descida na Cratera Victoria," disse Alan Stern, Administrador da NASA, Diretor da missão cientfica, na Sede da NASA, Washington. "É um risco calculado, principalmente por que esta missão execedeu seus objetivos iniciais."

 

O geólogo robótico irá entrar na Cratera Victoria através de uma alcova chamada "Duck Bay". A cratera erodida tem uma borda cheia de voltas como se fossem promontórios ou cabos, alternando com ladeiras mais suaves, chamadas de alcovas ou baías. 

Cabo de Sao Vicente
Acima: Cabo de São Vicente, um dos muitos promontórios que se projetam das paredes da Cratera Victoria.

 

O impacto de um meteoro milhões de anos atrás excavou Victoria, que fica aproximadamente 4 milhas (6 quilômetros) ao sul de onde a Opportunity pousou em janeiro de 2004. A bacia criada pelo impacto tem 750 metros de diâmetro e cerca de 5 vezes a largura da Cratera Endurance, onde a Opportunity gastou mais do que seis meses explorando em 2004.

 

O explorador começou a viagem da Endurance para a Victoria há 30 meses atrás. Ele chegou  à borda em Duck Bay há nove meses atrás. A Opportunity então deslocou-se um quarto do caminho no sentido anti-horário ao redor da borda, examinando  as camadas rochosas visíveis nos promontórios e possíveis rotas de entrada nas alcovas. Agora, o explorador voltou ao ponto de entrada mais favorável .

 

"Duck Bay" parece ser o melhor candidato para entrar," disse John Callas, gerente de projeto do explorador, no JPL. Ele tem ladeiras com inclinação entre 15 e 20 graus e pedras expostas para uma direção segura."


Acima: Duck Bay, onde gentis ladeiras fornecem acesso relativamente fácil ao interior da Cratera Victoria

 

Se todas as seis rodas continuarem a funcionar, os engenheiros esperam que a Opportunity esteja apta a sair da Cratera. Entretanto, o explorador gêmeo da Opportunity, o Spirit, perdeu o uso de uma das rodas há mais de um ano, diminuindo a capacidade de escalar.

 

"Estes exploradores já passaram em  muito do tempo de vista previsto, e uma outra roda pode apresentar defeito," disse Callas. "Se a Opportunity perder uma das rodas dentro da Cratera Victoria, tornaria muito difícil, talvez impossível, escalar de volta."

 

"Nós não queremos que seja uma viagem de ida sem volta," disse Steve Squyres, investigador principaldos instrumentos científicos dos exploradores, da Universidade de Cornell, Ithaca, NY. "Nós ainda temos alguns excelentes objetivos científicos nas planícies que gostarámos de visitar após Victoria. Mas se o Opportunity ficar preso lá, será inestimável o conhecimento adqurido."

 

Texto traduzido do site da NASA (http://science.nasa.gov)


Próximo artigo | Artigo anterior

 

Anúncios





Notícias
Direitos Reservados | Astronomia na Web 1996-2017