Brasil - Quinta, 27 Julho 2017

Hubble descobre uma nova lua em torno de Plutão

traduzido por Luis Gabriel

20 JUL 2011 -  Os astrônomos usando o Telescópio Espacial Hubble descobriram uma quarta lua orbitando o gelado planeta anão Plutão. O minúsculo satélite novo - batizado temporariamente de P4 - surgiu de uma pesquisa do Hubble que buscava encontrar anéis ao redor do planeta anão.

A lua nova é a menor a ser descoberta ao redor de Plutão. Ela tem um diâmetro estimado de 8 a 21 milhas (13-34 km). Em comparação, Caronte, a maior lua de Plutão, tem 648 milhas (1,043 km) de diâmetro, e as outras luas, Nix e Hydra, estão na faixa de 20 a 70 quilômetros de diâmetro (32 a 113 km).

"Acho notável que as câmeras do Hubble nos permitiu ver um objeto tão pequeno tão claramente a uma distância de mais de 3 bilhões milhas (5.000 milhões km)", disse Mark Showalter, do Instituto SETI em Mountain View, na Califórnia, que liderou este programa de observação com o Hubble.


AcimaEsta composição de duas imagens do Hubble mostra os quatro satélites de Plutão em movimento. Imagem NASA

A descoberta é resultado do trabalho em curso para apoiar a missão New Horizons da NASA, programada para voar através do sistema de Plutão em 2015. A missão é projetado para fornecer novos detalhes sobre os mundos na fronteira de nosso sistema solar. O mapeamento do Hubble da superfície de Plutão e a descoberta dos seus satélites têm sido de valor inestimável para o planejamento da chegada da New Horizons..

"Esta é uma descoberta fantástica", disse o diretor da New Horizons Alan Stern do Southwest Research Institute em Boulder, Colorado "Agora que sabemos que há uma outra lua no sistema de Plutão, podemos planejar observações detalhadas dela durante o nosso sobrevôo".

A nova lua está localizado entre as órbitas de Nix e Hydra, que foram descobertas pelo Hubble em 2005. Caronte foi descoberto em 1978 no Observatório Naval dos EUA e foi primeiramente determinado com um corpo separado de Plutão, pelo Hubble em 1990.

O sistema inteiro de luas do planeta anão acredita-se ter sido formado por uma colisão entre Plutão e outro corpo do tamanho do planeta no início da história do sistema solar. material arremessado se uniu para formar a família de satélites observados em torno de Plutão.

As rochas lunares que retornaram à Terra nas missões Apollo levou à teoria de que a nossa Lua foi o resultado de uma colisão semelhante entre a Terra e um corpo do tamanho de Marte há 4,4 bilhões de anos. Os cientistas acreditam que o material ejetado pelas luas de Plutão por impactos de micrometeoritos podem formar anéis ao redor do planeta anão, mas as fotografias do Hubble não os detectaram até o momento.

"Esta observação surpreendente é um poderoso lembrete da capacidade do Hubble como observatório astronômico de uso geral para fazer surpreendentes, descobertas inesperadas", disse Jon Morse, diretor da divisão de astrofísica na sede da NASA em Washington.

P4 foi vista pela primeira vez em uma foto tirada com a câmera grande angular 3 do Hubble em 28 de junho. Foi confirmada em imagens subseqüentes do Hubble tomadas em 3 de julho e 18 de julho. A lua não foi visto em imagens anteriores do Hubble, porque os tempos de exposição eram mais curtos. Há uma chance que aparecam como uma mancha muito fraca nas imagens de 2006, mas foi ignorado porque estava obscurecida.

Editor: Dr. Tony Phillips | Crédito: Science @ NASA | Tradução: Luis Gabriel

Anúncios





Notícias
Direitos Reservados | Astronomia na Web 1996-2017